Get Adobe Flash player

Entrevistas

Alci Porto

Diretor Técnico do Sebrae/Ce

Especializado em micro e pequenos negócios, Alci Porto tem contribuído para o crescimento do empreendedorismo no Ceará e no Brasil com propostas inovadoras. Ele começou como estagiário no Sebrae) no Ceará e hoje é seu Diretor Técnico.

Foi estagiário no Serviço Brasileiro de Apoio à Micro e Pequena Empresa (Sebrae) no Ceará e hoje é seu Diretor Técnico. Por sua trajetória profissional e o sólido conhecimento adquirido, Alci Porto Gurgel Júnior tornou-se uma referência, não só no Estado, mas em todo o Brasil, quando o assunto é empreendedorismo.
Formado em Economia pela Universidade Federal do Ceará (UFC), Alci Porto tem especialização em Programa de Formação de Consultores em Gestão Empresarial, pela Universidade de São Paulo (USP). Também se especializou em Políticas Públicas para as micro e pequenas empresas, pela Universidade Corporativa Sebrae, em Gestão Estratégica de micro e pequenas empresas, pelo BNB, e em Políticas Públicas para as micro e pequenas empresas, pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).
Em 1999, assumiu a Diretoria Técnica do Sebrae-CE e, em 2005, chegou à Superintendência. Em 2007, voltou à Diretoria Técnica, posto em que segue até hoje, envolvendo-se diretamente em todos os programas e ferramentas que o Sebrae disponibiliza para a população. Por estar tão ligado às questões do empreendedorismo, Alci Porto não poderia deixar de ser um dos entrevistados da série Você Empreendedor.
Neste diálogo exclusivo com o Jornal Diário do Nordeste, o Diretor Técnico do Sebrae-CE explica porque a atuação do Sebrae é tão importante para o empreendedorismo brasileiro e de que forma o governo poderia ajudar os pequenos e médios empresários.
➥ VOCÊ EMPREENDEDOR: Por que o Sebrae é tão importante para o empreendedorismo no Brasil?
ALCI PORTO: A iniciativa empreendedora no Brasil está ausente no sistema formal de ensino, colégios e universidades. Essas instituições não são capazes de gerar futuros empreendedores. Como os alunos são formados mais no aspecto da competição e menos nas habilidades de empreender, há um vácuo na formação profissional. E o Sebrae vem ocupando esse espaço, com programas para não empresários e para empreendedores que já implantaram um negócio.
➥ Que tipo de empreendedor é mais promissor para a economia brasileira?
Do ponto de vista da inclusão do Brasil na pauta internacional de exportação, a pequena empresa é mais estratégica, porque está na fronteira de atingir o status de exportadora. Já do ponto de vista da distribuição de renda e do fortalecimento das pequenas localidades, a microempresa e o empreendedor individual. Eles têm um papel social maior, na formação e na geração de renda, pois estão em localidades onde a grande empresa não chega.
➥ O empreendedorismo é uma habilidade natural ou se aprende?
Dizem que a capacidade empreendedora é natural, mas é preciso desenvolver essa habilidade. Mesmo os empreendedores natos, durante a vida passaram a desenvolver, de forma empírica ou não, algumas habilidades. O empreendedor é aquele que toma uma atitude, que busca executar seus sonhos, transforma coisas impossíveis em realidade e que desenvolve suas habilidades.
➥ O empreendedorismo cearense tem diferenças em relação ao brasileiro?
Há um fator diferencial no cearense: a criatividade. Não é por nada que o cearense também é tido como criativo, pitoresco, chegado ao humor. Isso tudo compõe, com conhecimento na gestão, um tipo diferenciado. Ele é um empreendedor que, primeiro, se relaciona facilmente. Segundo, cria. Você encontra, em geral, nas empresas cearenses, muita criatividade. Agora, queremos induzir a outro fator: não basta ser criativo, nem ter iniciativa – é preciso se capacitar. É onde o cearense peca. Quando é para sentar na sala de aula, ainda falta vontade de aprender.
➥ O crédito é o grande gargalo para o empreendedorismo brasileiro?
O empreendedor brasileiro bem intencionado é penalizado pelo excesso de regras criadas pelos bancos e o governo para evitar os mal-intencionados. Criamos um Fácil para o registro de empresas, o Simples Nacional para enquadramento de negócio e precisamos de um mecanismo semelhante para o crédito. O Sebrae pretende levar esse problema para uma mesa de discussão maior, com o Governo Federal.

Fonte: Diário do Nordeste
Publicado em 24 julho, 2012
Caderno Caderno 5 – Apoio para o sucesso

Receba as novidades do nosso site em seu email, cadastre-se!

Agenda


EVENTOS DE DIMENSÃO NACIONAL
Feira do Empreendedor 2016

20 e 23 de fevereiro
Pavilhão do Anhembi Parque
Sebrae-SP

01 até 04 março
Florianópolis/SC (Brasil)

15 a 18 de maio
Centro de Convenções, Poeta Ronaldo Cunha Lima
João Pessoa - PB

08 a 12 novembro
Expominas - Centro de Feiras
Belo Horizonte/MG

Conversor de Moedas

Avalie-nos

Sugestões

Enquete

Qual o conteúdo do site que você mais gosta?